Dicas quinzenais

Indicações

Por Taina Pacheco em julho 25, 2020

A cada duas semanas faremos um compilado de indicações relacionadas à Economia Comportamental, com o intuito de mostrar o que a área vem discutindo e, quem sabe, divertir um pouco o final de semana de você que nos lê.

O compilado está dividido em seções, para facilitar a navegação entre os assuntos: livros, artigos, contas para seguir no Twitter, o que rolou, o que vai rolar e miscelâneas.

Esta primeira lista traz algumas referências clássicas, então se você já conhece bastante sobre o tema, não se desanime e aproveite para lembrar porque os clássicos são sempre clássicos!


Livros

Nudge: Como tomar melhores decisões sobre saúde, dinheiro e felicidade

Richard H. Thaler e Cass R. Sunstein, 2008.

Para aprender o poder da ‘arquitetura de escolhas’ em decisões aparentemente simples e óbvias. Lançado em 2008, popularizou o tema e a agenda de pesquisa, que ganhou corpo desde então. A última versão está sendo revista, para excluir artigos cujas evidências não se mostraram robustas, incluir avanços da área e de temas recentes. Se eu fosse você aguardaria até a próxima edição. Para acompanhar a checagem num exposed no Twitter, segue o fio.

Recentemente Sustein falou sobre a parceria com Thaler, Nudge e seus projetos atuais, incluindo um novo livro, no episódio 80 do podcast Inside the Newsroom.

Resenha sobre esse e outros livros podem ser encontradas aqui no site, dá uma olhada lá!


Artigos

Para continuar no tema nudge, vale a pena ler dois artigos que foram discutidos no Grupo de Estudos de Economia Comportamental desse mês, e aproveitar para assistir à apresentação dos autores do primeiro artigo.

RCT to Scale: Comprehensive Evidence from Two Nudge Units

Artigo aqui.

O artigo de Stefano DellaVigna e Elizabeth Linos (2020), analisa e compara experiências da academia e de agências em intervenções que utilizaram nudge, discutindo qual o efeito esperado desse tipo de intervenção, e quais as limitações e potencialidades de experiências acadêmicas ou institucionais.

A Escola de Economia de Chicago tem realizado seminários abertos para discutir experimentos, e esse artigo foi apresentado e discutido em maio. Todo o material está disponível no YouTube, vale a pena assistir.

A Decade of Nudging, what have we learned?

Para complementar a discussão, Mette T. Damgaard, em seu artigo A Decade of Nudging, what have we learned? (2020), levanta o que o campo de intervenções comportamentais com nudge aprendeu após mais de uma década de pesquisa. Ele destaca quando a política é mais eficiente e quando ela não deveria ser usada, sendo um excelente artigo para pessoas que trabalham no setor público e que desejam incluir nudge em políticas públicas.


Contas para seguir no Twitter

Já que falamos do livro Nudge, que já está na sua lista de próximos livros para ler, não deixe de seguir os autores, Sustein e Thaler, que dispensam apresentações.

Também queremos apontar mulheres influentes na área, que é majoritariamente masculina.

Katherine L. Milkman: professora na Wharton School, uma das escolas de negócios mais prestigiadas do mundo, Milkman dedica sua pesquisa a entender como as pessoas podem tomar melhores decisões, em assuntos que vão desde finanças até saúde.

Margarita Gómez: a pesquisadora mescla academia com prática em governo a mais de 12 anos. Em 2016 fundou o primeiro laboratório de ciências comportamentais e métodos experimentais do México e atualmente é diretora do People in Government Lab, na Universidade de Oxford.

Além de pessoas, também é legal seguir agências governamentais, instituições de pesquisa e empresas que atuam na área.

011Lab: No Brasil existem poucas agências governamentais dedicadas a aplicação de ciências comportamentais na formulação de políticas públicas. O laboratório de inovação da cidade de São – 011Lab, é uma das agências que vem trabalhando na área.

BIT Americas: inicialmente uma agência do governo britânico, hoje é uma companhia presente em mais de 31 países. A conta que indicamos aqui é a que traz temas relacionados às Américas. Não deixe de seguir também a conta global da empresa, que realiza diversos seminários e treinamento para quem deseja aplicar ciências comportamentais à políticas públicas.

Recentemente o Twitter lançou uma ferramenta chamada listas: é como uma segunda página principal na qual você vê apenas determinadas contas. O interessante é que você pode seguir listas de outras pessoas, e ver publicações de contas que não segue. É também uma maneira de descobrir contas novas que discutem assuntos de seu interesse. Fica aqui minha dica de uma lista de ciências comportamentais.


O que rolou?

Nudgestock

Mês passado aconteceu a edição 2020 desse evento de nome criativo. Se você perdeu o festival, ou simplesmente não conseguiu acompanhar todo o que rolou nas 12 horas (muitas das quais na madrugada brasileira), não se preocupe. Todo o material do evento está no site ou no portal do YouTube.

Tem também material de especialistas brasileiros(as), discutindo os pontos principais do evento aqui.


O que vai rolar?

Curso do IDB – Economia do Comportamento para Melhores Políticas Públicas

Segundo site do curso: Nos últimos anos, cada vez mais governos e formuladores de políticas têm percebido que, para serem verdadeiramente bem-sucedidas, as políticas públicas devem considerar a forma como os indivíduos se comportam e tomam decisões. Com essa premissa, este curso se propõe a ensinar os conceitos fundamentais da economia do comportamento e como estes diferem da visão do modelo econômico tradicional. O curso também introduz ferramentas que podem ajudar a promover a tomada de melhores decisões e apresenta casos reais de intervenções em que esses “empurrões” foram usados para aprimorar as políticas públicas em países da América Latina e de outras partes do mundo.

Quando começa? 01/setembro

Virtual, pra fazer de casa no seu ritmo, 3 horinhas por semana, 6 semanas de duração! Os cursos do IDB são ótimos, sempre feitos por especialistas no assunto. Você vai aprender muito e de quebra ainda pode colocar no currículo.

É a sua cara? Então vai lá no site e se inscreve agora, se você deixar para depois pode esquecer!


Miscelâneas

Se você é fã de podcasts como eu, não deixe de ouvir a edição de 21/07 de “The Daily” (disponível no Spotify) que discute a aceitação da população à vacina para COVID-19, quando ela vier.

Será que basta apenas ter a vacina para controlar a pandemia? Por que as pessoas se recusariam a serem vacinadas? Como a economia comportamental pode ajudar a resolver esse problema? Nudges seriam efetivos nesse contexto?

O podcast discute a cultura americana, que ainda me parece diferente da brasileira. Por mais que grande parte dos brasileiros tomem as vacinas obrigatórias quando criança, campanhas de vacinas “não obrigatórias”, como a da gripe, têm dificuldade de atingir todo o público alvo.

Se existisse uma vacina cientificamente aprovada e comprovada para COVID-19, você tomaria?


Obrigada por ter chegado até aqui. Nos vemos em duas semanas!


O levantamento que você acabou de ler não é exaustivo. Acha que tem alguma coisa que ficou de fora e que outras pessoas iriam gostar de saber? Manda uma mensagem para a gente na página do Facebook, ou pelo e-mail grupoeconomiacomportamental@gmail.com, nós iremos adorar incluir sua dica na lista da semana que vem.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *