Segundo Encontro do G.E.E.C. USP ocorre na última quinta

Encontros

Por isabelatazima em maio 11, 2018

Na última quinta ocorreu, na FEA USP, o segundo encontro do nosso Grupo de Estudos em Economia Comportamental. Contamos com a presença da convidada Flávia Ávila, fundadora da consultoria InBehavior Lab e do site economiacomportamental.org, co-fundadora do Guia de Economia Comportamental e Experimental e Mestre em Economia Comportamental pelo CeDEx.

Os textos escolhidos para guiarem os encontros foram retirados do próprio Guia: www.economiacomportamental.org/guia

São eles:

1) Introdução – Dan Ariely

Economia Comportamental: Um Exercício de Desenho e Humildade

2) Parte II – Capítulo 1 – Chris Starmer

Entendendo Preferências: O que podemos aprender com a Economia Comportamental?

3) Parte III – Capítulo 6 – Fernando Meneguin e Flávia Ávila

A Economia Comportamental Aplicada a Políticas Públicas

Fernando Meneguin e Flavia Ávila
Flávia fez uma excelente introdução sobre a área, explicando os principais motores da decisão e as novas ferramentas que a área nos trouxe. Em seguida, trouxe exemplos de experimentos realizados utilizando o conceito de framing, onde mostrou que até mesmo os economistas estão sujeitos aos vieses e heurísticas. A convidada também dialogou com o Guia de Economia Comportamental e Experimental ao falar da necessidade de se estudar anomalias dentro do que conhecemos por Teoria da Utilidade Esperada e como de certa forma tal situação ocasionou o surgimento da E.C. Por fim, Flávia apontou possíveis dificuldades que o cenário brasileiro pode enfrentar nos próximos anos, tal como a inversão da pirâmide etária, e um case de sucesso com a aposentadoria americana, 401k, onde Richard Thaler, economista comportamental recém laureado com o Nobel, faz importantes aplicações de Nudges para aumentar tanto o rendimento do plano de aposentadoria bem como sua taxa de adesão.

Pudemos, então, analisar alguns casos de E.C. aplicados no Brasil e no mundo:

FUNPRESP

Funpresp, o fundo de previdência privada dos funcionários federais. Utilizando a ideia de que nós somos muito mais propícios a continuarmos inertes diante de uma opção, foi aprovado em 2015 que os funcionários que não desejassem fazer parte do plano de aposentadoria, deveriam retirar a marcação no formulário (opt out), tendo que sair do status quo. Apesar de parecer uma medida singela, as adesões passaram de 45% para 85% dos funcionários somente com adoção dessa medida. Atualmente a média se encontra nos 90%.

Faixa de pedestre MT

faixa de pedestre.jpg

A cidade de Primavera do Leste no Mato Grosso recebeu via grafiteiros uma aplicação bastante prática do que conhecemos por Nudge. A ideia, bem sucedida, foi pensada para diminuir a velocidade na via e consequentemente acidentes.

Flávia trouxe também a importância que estas medidas têm ganhado nos governos, pois estão se criando unidades especiais justamente para pensar nos detalhes das formulações e aplicações das políticas públicas, usando os conceitos da economia comportamental, como o Nudge Unit ou Behavioral Insights Team do Reino Unido.

Por fim, a platéia realizou perguntas muito adequadas e construtivas, como o posicionamento da EC entre a ortodoxia e heterodoxia da economia, as principais dificuldades da área, a diferença entre a EC e o marketing e sobre como é o cenário para a pós graduação na área.

Gostaríamos de agradecer imensamente a convidada Flávia e todos os participantes por um encontro tão enriquecedor.

O próximo será realizado dia 22 de Maio, onde a convidada Renata Saboia falará sobre Neuroeconomia. Não perca!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *